segunda-feira, 8 de abril de 2013

Morro da Conceição - Um Oásis no Centro da Cidade



Imagem de Nossa Senhora da Conceição
Uma viagem no tempo, num cenário que exibe casarões e vilas do século XIX e início do século XX, com ruas estreitas, conversas nas calçadas, por onde só circulam pedestres, não há trânsito. Barulho, só de passarinhos ou de crianças brincando.  Assim é o Morro da Conceição, situado entre a Praça Mauá e o bairro da Saúde, em pleno coração da cidade, pulsante e barulhenta. Sobe-se o Morro por inúmeras ladeiras e ruelas, e quando se chega ali, a sensação é que o tempo parou, pois o lugar conseguiu se manter preservado do processo de urbanização dos últimos dois séculos, que ocorreu em toda a cidade. O interessante é que o Morro da Conceição nunca foi uma favela e continua sendo até hoje um local de moradia, mantendo um estilo de vida que não mais existe no Centro do Rio.

 
Um estilo antigo de moradia
Uma viagem no tempo
Para combater a invasão Francesa no Rio de Janeiro, no século XVIII, os portugueses construíram uma Fortaleza no alto daquele morro para proteger a Baía de Guanabara. A origem do nome deveu-se à construção de uma capela em homenagem a Nossa Senhora da Conceição, que acabou batizando o lugar. Mais tarde, ali foi construído  o Palácio Episcopal, onde hoje funciona o Serviço Geográfico do Exército.
O Morro da Conceição abriga, ainda, o Observatório de Valongo e a Pedra do Sal. O nome remete à pedra de gnaisse escorregadia existente no Morro da Conceição. Ali era descarregado o sal importado de Portugual durante o Império, e era vendido aos moradores do Rio.
Pedra do Sal, berço do samba
O sal era um produto muito valorizado e caro naquela época. Para facilitar o acesso, os escravos foram obrigados a construir escadas. A Pedra do Sal também era ponto de desembarque do tráfico de escravos. Os escravos se reuniam nas horas vagas para cantar e dançar suas músicas de origem africana.
Por essa razão, a Pedra do Sal é considerada o berço do samba, frequentado por  Pixinguinha, João da Baiana e Heitor dos Prazeres, entre outros expoentes da MPB.
Com a revitalização do Centro da cidade, o Morro da Conceição vem sendo redescoberto. Muitos artistas plásticos instalaram ateliês, que são abertos ao público. São realizadas rodas de samba na Pedra do Sal todos os finais de semana e o Morro como um todo está virando ponto de atração turística. O grande desafio agora é manter preservadas as características deste oásis encravado no burburinho da cidade, ao mesmo tempo em que abre as portas para um mundo mais amplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário